sábado, 23 de abril de 2016

O mealheiro

Os tratamentos sempre foram caros, então cedo comecei a juntar num mealheiro o dinheiro que precisaria...e que nunca foi suficiente.
Moedas de 2 euros, moedas pretas, notas novas...todas as desculpas serviam e para lá iam...
A gravidez aconteceu, as moedinhas por lá ficaram...cerca de 7 euros.

- olha mãe que mealheiro tão lindo, é meu?
- é sim filha, a mãe juntou estas moedinhas para ti
- que bom mamã, então posso levar para o meu quarto?
- podes
- ai mãe estou tão feliz, eu vou meter mais moedinhas para depois comprar coisas para ser feliz
- olha nem tudo o que nos faz feliz se compra, o

colo da mãe não se compra, os beijinhos, as festinhas
- eu sei mãe, mas eu vou juntar para ter moedas para andar no carrinho dos bombeiros ou no carro do Nody, pode ser?
- claro que sim, mas agora tens de ser tu a enchê-lo de moedas
- ai mãe estou tão feliz, um tu meteste dinheiro para eu ser feliz, dois é tãoooooooooo lindo cor-de-rosa e com dois corações, três vou andar no nody....oh mãe, os corações de quem são?
- são o meu e o do teu pai, que queremos que tu sejas sempre muito feliz
- oh mãe e sou

O sonho está concretizado, mas há memórias complicadas de gerir, o mealheiro é bonito, mas o que ele realmente representa não tem palavras...a dor de estar vazio, a dúvida se o esforço alguma vez seria compensado.
Esta conversa serviu para finalmente ter paz ao olhar para ele.



quarta-feira, 4 de março de 2015

O pôr da lua

A miúda tem fascínio pela lua, não sei se terá sido coincidência de ter nascido na superlua de 2012, mas adiante, fica aos pulinhos sempre que a vê.
No outro dia a lua desapareceu atrás duma núvem:

- oh mãe a lua pôs-se?

Microclima?

Há mães que estragam tudo, com o outono caem as folhas, no inverno não há folhas e depois começa a primavera.
- olha mãe as fólhinhas a nascer, é inveno?
- é inverno, mas a primavera está a chegar, vai ficar mais calor e as árvores ficam com folhinhas novas e flores.
- olha mãe a pimavera já chigou a esta árvore, ohhh mas nesta chigou o inveno

Microclimas e dá nisto...

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Medicamentos

Ao deitar:
- oh mãe eu quero os dois remédios

- não filha que já não precisas, não estás doente (costumo dizer que está a tomar porque a médica mandou)
- mas eu quero ficar doente, depois vou ao médico e digo: oh médico estou muito doente pêciso dos dois remédios.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

A

Helena aponta para uma maçã e diz: olha a a mamã e a a minha Ana (amiguinha dela).
Fiquei parva a olhar para a maçã sem perceber, até que ela aponta para o texto "A maçã", vês mamã este é da minha Ana e da mamã.
Este era o A...de Ana e Angélica...

Sinto-me desactualizada...sei que já sabe o "acá" do nome dela, e o N a que chama Nuno, mas o A não dei conta de quando o aprendeu:)))

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Água fria da ribeira

À saída da creche uns senhores estão a cortar as ervas.
- mãe o senhor tem a roupa suja.
- suja?
- sim, olha, esteve a lavar e tendeu ali (esteve a lavar e estendeu ali, o ali era nos rails que os separavam da estrada).

Sim, o senhor teve calor, despiu o colete, pendurou-o ali... e logo este pedacinho de gente imaginou o senhor a lavar roupa suja...
água fria da ribeira...água fria que o sol aqueceu....

sábado, 31 de janeiro de 2015

DJ

Mãe vou pôr música rock.
(mãe controlou-se para não se desmanchar a rir).

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Cabeça dura coração mole.


- mãe a Nena choou na escolinha.
- choraste filha porquê?
- o D bateu na Nena, e Nena fez humm (gemer baixinho). Nena deu 2 cabechadas
- deste duas cabeçadas ao D? 
- não mãe, à parede
- de propósito ou sem querer?
- sem querer, o D empurrou a Nena.
- então ele empurrou-te e tu deste as cabeçadas?
- sim
- e choraste porque bateste com cabeça na parede?
- não, choei porque o D bateu

sábado, 17 de janeiro de 2015

Tomar café vs beber café

Lisboa 0 - Porto 1
Vais tomar café pai?
Tomar? grrr....bebe-se tudo, mas o café é tomar...oh miúda não sejas preciosista...

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Pachecheios

Passei a vir por outro trajecto, hoje berrou:
- mãeeeeee cuidado.
- que foi?
- os checheios
- os quê?
- os pachecheios mãe. 
- passageiros?? Que passageiros filha?
- os que querem entrar, pára mãe vamos à casa deles.
Entrámos na garagem e tive de parar o carro: pachecheios entra a mamã parou o carro.
Depois de estacionar meteu - se ao volante :vamos pachecheios para a tua casa. Eu levolos.
Depois a luz da garagem apaga-se, tentou acender a do habitáculo sem sucesso : mãe o pai tem de por a carregarrr está sem bateria...

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

E ao sétimo dia...


... pude responder "sim", o olhar iluminou-se, saltou da cama, vestiu-se sozinha e correu para a sala da escolinha.
6 dias a pedir para ir para a escolhinha e eis que ao 7º dia ouviu o que tanto desejava.
Que o resto da recuperação corra bem.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Abertura oficial dos "porquês".


-que é isto?
-é o sr a respirar, esteve a fazer ginástica por isso faz esse barulho a respirar
-porquê 
-porque ficou cansado
-porquê
-tu também ficas cansada quando fazes ginástica
-porquê
-porque o coração começa a bater mais depressa...
-ahhh
Preciso de enciclopédias actualizadas e já!

Não gosto mas como

Apetite fugiu, dormir é para fracos...
Fiz um bolo, e apesar de ter almoçado dentro do razoável está a comer com satisfação. 
-gostas do bolinho?
Nem responde para não parar de dar ao dente. 
-tu gostas mãe? 
-gosto 
-eu não gosto, mas como...

Que se lixe prefiro isto a dizer que gosta e não comer.

100 anos

Há 100 anos nascia o meu avô António. 
Uma data a recordar.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Por aqui não se pára

Ser mãe é acordar a ouvir a música do Jack na terra do nunca na nossa cabeça e preparar-mo-nos para mais um dia de sofá.
Febre justificada por infecção pulmonar, mas nem os 39,9 lhe pararam a cantoria.
That's my girl.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Febre excitante?

Mãe cheia de dores musculares quer dormir, filha acordou com 39,3 vai nos 38,5 e não pára de cantar.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Gripe ataca em 3 frentes

Andam dois pais quase uma semana a evitar contaminar a filhota e eis que ligam da creche frown emoticon

Chegadas a casa há que lanchar antes de medicar.
- Ai mãe eu não pocho comer estou muito doentinha. 
- Se não comeres não te posso dar medicamento. 
- Ahhhh tá bem.

Mãe doente tenta metê-la na cama. 
 - Oh mãe estou muito doentinha tenho de ver meninos (desenhos animados).

E pronto estamos na sala para a hipocondríaca ver os "meninos".

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Ciúmes e regressões

Hoje fiz festinhas a uma bebé do berçário. Alguém enciumado desatou a gatinhar ao mesmo tempo que dizia :Nena é bebé!

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Regressos a casa

O momento alto do meu dia continua a ser o regresso a casa.
Ou conta histórias, ou tem observações inesperadas.
Hoje tivemos as duas situações.
- olha mãe o patatal
- o quê?
- o pai tatal
- o pai natal?
- sim, ixo
- e onde estava o pai natal?
- na chanela
- ai sim, e como estava vestido?
- com uma camichola, uma calchas e uma botas nos pés
- e de que cor era a roupa do pai natal?
- cô de rocha
Entretanto entro na garagem, há menos caros, e estaciono à 1ª
- boa mamã, já táchinaste
- está quase filha (e ando um pouco mais para trás)
- não pechisas mamã, não tá mal tachinado.
acabo de estacionar e antes de desligar o carro: está fixe mamã.
Para quê sistemas sofisticados de estacionamento? Só falta acrescentar que na semana passada disse: mais mamã, anda mais a palede está ao funto.

Desentendida

Ontem depois de levar um ralhete por não usar o prato e evitar migalhas disse - me :diz outa vez que não pechebi nada!

domingo, 23 de novembro de 2014

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Cataninhas

Vamos comer cataninhas mamã.
Mamã descasca - as e ouve :não queroooo.
E pronto tenho a dizer que são melhores que as do trabalho.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Fáfavour e di nata

Há pouco deixou cair um boneco, como estava sentada não se quis levantar.
- mamã apanha fáfavou.
Apanhei e agradeceu-me: obicatu mamã.
Quando eu me preparava para responder "atropelou-me" e disse: di nata!

sábado, 8 de novembro de 2014

À minha beira vs ao pé de mim

Porto 1 Lisboa 0???
Mamã senta-te à minha beía!
Queres que me sente ao pé de ti?
Sim, aqui à minha beía!

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Relatividade das coisas

Tudo é relativo.
Esta noite passámos duas horas em claro, paragem de digestão da pequenita. Esteve cansadita todo o dia, mas consta que fez todas as actividades.
Estamos a ver bonecos aninhadas.
A relatividade das coisas nota-se quando comparamos datas. Há 6 anos voltava ao Porto depois de ter participado na manifestação que nos daria maior comparticipação nos tratamentos de infertilidade. Regressei sem saber se nos iam ouvir, sem saber que ainda faria mais 4 tratamentos e sem dúvida sem saber que mesmo com noites mal dormidas tudo vale a pena.
Sim, até estes sintomas de virose outonal...

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Niveiro

- Mamã, quer o chapéu.
- Chapéu??? Não está sol.
- Está núvens?
- Não, está nevoeiro.
- Não gosto do niveiro mamã.

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Vixinho da mota

- mamã olha o vixinho da mota.
vizinho: olá, reconheceste-me mesmo sem capacete.
- olá, vixinhoooooooooooooooooo a mota está ali
- sim, mas eu hoje vou de carro
- carro??
- sim, este é o meu carro
- e a mota???
Mais um pouco quase lhe perguntava se podia herdar a mota...

Sexta-feira com sabor a segunda?

Pai:bom dia
Filha: bom dia nada
A sexta-feira esse dia difícil.

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Já falei de desfralde?

Um dos motivos pelos quais não tenho cães? Não tenho casa para isso e não gosto de andar a apanhar cocós.
Ouviste Helena?

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Macaca de imitação, mas com pequenas nuances

Hoje ao lanche, mãe e filha comem iogurtes.
Mãe acaba de comer, e faz o gesto "activia" na barriga e diz: hummm que bom.
Filha repete o gesto e diz: hummmm que fome.
Quem pode resistir sem rir? Eu não consigo...

O desfralde

- Helena, a mamã disse que era para vires fazer cocó.
- sim
- então porque não fizeste no pote?
- fez na cueca...
- pois mas nas cuecas são os bebés, no pote as meninas crescidas
A mexer-se claramente a ignorar o ralhete...
- estás a ouvir-me?
- sim
- então o que foi que eu disse?
- meninas quescidas

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Há 3 anos, num dia 3

A 3 de setembro, precisamente há 3 anos, apaixonei-me por 2 risquinhas cor-de-rosa. A paixão aumenta de dia para dia.